GT Instrumentos Financeiros e Investimentos de Impacto – Resultados da Terceira Reunião Presencial
22/05/2018

GT Finanças Verdes – Resultados da Terceira Reunião Presencial

 

No dia 08 de maio o GT de Finanças Verdes se reuniu para apresentar os projetos-pilotos em desenvolvimento no grupo e que serão lançados ao final do primeiro ano do Laboratório em agosto deste ano. Além disso, novos temas foram abordados como sugestões para entrarem na pauta a partir do segundo ano.

No tema de Alternativas Funding há dois projetos sendo discutidos no GT e que foram apresentados. O primeiro deles é o projeto Fundo de Eficiência Energética (F2E), que está sendo realizado pelo Banco Mundial e pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) com apoio do Lab. Este produto tem como objetivo ajudar empresas industriais a investir em eficiência energética. Para isto, busca retirar do balanço das empresas este tipo de investimento de forma que estes deixem de competir com outros usos do capital.

Ainda em Alternativas de Funding, o outro projeto é a proposta de Depósitos Interfinanceiros Verdes que visa destinar parcela dos depósitos à vista vinculados ao microcrédito, que não está sendo utilizada, para financiar projetos verdes. Desta forma, permite o acesso a crédito em melhores condições aos projetos verdes.

Na área de Garantias há também dois projetos sendo desenvolvidos com o apoio do Lab. Primeiro foi apresentado o projeto-piloto do Energy Savings Insurance (ESI) que está sendo desenvolvido pelo BID em conjunto com o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), a Goiás Fomento e o Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes). Este busca estruturar uma nova forma de financiamento a eficiência energética (EE) e visa mitigar (i) a falta de confiança das empresas em fornecedores de tecnologia e serviços e (ii) a falta de acesso ao financiamento desses projetos. Para isso busca mitigar os riscos envolvidos em três frentes: (i) validação do projeto e do fornecedor pela ABNT; (ii) um fundo de compensação (fundo de retenção) e (iii) seguro garantia.

Além disso, está sendo desenvolvido o Estudo FEBRABAN ‘Financiamento de energia solar fotovoltaica’ com apoio do LAB, BID e ABSOLAR que tem por objetivo analisar a viabilidade do financiamento para projetos de energia solar fotovoltaica, em geração distribuída, discutindo os seguintes temas: (i) design de modelos de negócio; (ii) melhoria nas garantias oferecidas; e (iii) certificação de implementadores e instalações.

Por fim, no tema de Veículos de Investimento está sendo desenvolvido o projeto-piloto para implementar um Fundo First Loss que será utilizado em projetos de eficiência energética ou geração distribuída utilizando-se a estrutura de FIDCs ou FIPs com divisão em cotas Sênior, Mezanino e Júnior.

Além disso, surgiram dois temas que começarão a ser desenvolvidos no Lab a partir de agora. O Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), da Eletrobrás que tem como objetivo desenvolver um projeto-piloto utilizando a capilaridade da ABDE no Brasil e sua proximidade com os usuários finais aliada a necessidade de financiamento de projetos de eficiência energética.

O segundo tema que será discutido em separado, com a criação de um novo subgrupo, é o RenovaBio, projeto do Ministério de Minas e Energia já em andamento. O Lab participará da criação e regulamentação do Crédito de Descarbonização (CBIOs), novo ativo financeiro previsto por este projeto.